Em suas pesquisas, por que vocês escolheram "iniciativa estratégica" como sua unidade de análise, em vez dos populares "empresa" ou "indústria"? E como vocês definem "iniciativa estratégica"?

Kim e Mauborgne: Quando primeiro nos perguntamos se havia uma abordagem sistemática para criar Oceanos Azuis, começamos analisando a unidade básica de análise que utilizamos na literatura corporativa: a empresa. No entanto, a história revela que não há empresas perpetuamente excelentes. Considere Em Busca da Excelência, o primeiro livro de negócios best-seller publicado em 1982. Dentro de apenas cinco anos, dois terços das empresas identificadas e usadas como modelo no livro haviam sofrido um declínio. Da mesma forma, para aquelas empresas usadas de exemplo em Criado Para Durar, outro livro de negócios de sucesso, descobriu-se mais tarde que, se o desempenho da indústria fosse removido da equação, muitas empresas em Criado Para Durar não seriam mais excepcionalmente excelentes. Conforme observado por Foster e Kaplan em Destruição Criativa, as empresas listadas certamente superaram seus mercados, mas o mesmo aconteceu com suas indústrias inteiras.

Então, se não há uma empresa perpetuamente de alto desempenho, e se essa mesma empresa consegue ser brilhante em um momento e equivocada em outro, parece que a empresa não é a unidade de análise apropriada para explorar as raízes do alto desempenho. Da mesma forma, não há indústrias perpetuamente excelentes. Considere a TI. Cinco anos atrás as pessoas invejavam as empresas nesse ramo, hoje em dia o inverso também acontece com frequência.

Nossa análise do histórico da indústria revelou que a iniciativa estratégica, e não a empresa ou a indústria, é a unidade de análise certa para explicar a criação de Oceanos Azuis e a raiz do crescimento lucrativo. Nossa definição de iniciativa estratégica é o conjunto de ações e decisões gerenciais envolvidas em fazer um grande produto comercial para a criação de mercado. As iniciativas estratégicas que discutimos – iniciativas que entregaram produtos e serviços que abriram e capturaram novos espaços de mercado, com um salto significativo na demanda – contêm ótimas históricas de crescimento lucrativo. Criamos nosso estudo em torno destas iniciativas estratégias (mais de 150 de mais de 30 indústrias entre 1880 e 2000) para entender o padrão pelo qual os Oceanos Azuis são criados e capturados, bem como pelo qual o alto desempenho é alcançado.

Iniciativas Estratégicas dos Oceanos Azuis

We use cookies to ensure you get the best experience on our website and continuing implies your consent - Read our full cookie policy Okay, don’t show me again