iTunes

Com o lançamento do iTunes, a Apple desvendou um Oceano Azul de novos espaços no mercado de música digital, o qual é dominado por ela há mais de uma década.

A Apple percebeu a enxurrada de compartilhamentos ilegais de arquivos de música que começou no final da década de 90, possibilitados por programas de compartilhamento de arquivos como o Napster, o Kazaa e o LimeWire. Em 2003, mais de dois bilhões de arquivos ilegais de música eram compartilhados todos os meses. Enquanto a indústria fonográfica lutava para impedir a canibalização de CDs físicos, os downloads ilegais de músicas digitais continuavam a crescer.

Com a tecnologia disponível para que qualquer pessoa pudesse fazer o download digital de músicas gratuitamente, a tendência em direção às músicas digitais era clara. Esta tendência foi reforçada pela crescente demanda por reprodutores de MP3 que pudessem tocar músicas digitais móveis, como o iPod da Apple. A Apple aproveitou essa tendência decisiva de trajetória clara com a criação do iTunes em 2003.

Em um acordo com as cinco maiores empresas da indústria fonográfica— BMG, EMI Group, Sony, Universal Music Group e Warner Brothers Records— o iTunes oferecia legalmente downloads de músicas de modo flexível e fácil de usar. Ao permitir que as pessoas comprassem músicas individualmente por preços estrategicamente muito mais razoáveis, o iTunes eliminou um dos principais fatores de aborrecimento dos clientes: a necessidade de comprar um CD inteiro, quando na verdade eles queriam apenas uma ou duas músicas. O iTunes também proporcionou um salto no valor agregado que ia muito além dos serviços de download gratuitos, pois a qualidade do som era muito melhor, assim como a navegação intuitiva e as funções de pesquisa e navegação.

O valor sem precedentes oferecido pelo iTunes atraiu clientes do mundo todo, sem deixar de beneficiar as gravadoras e os artistas. Com o iTunes, eles recebiam cerca de 70 por cento do preço de compra das músicas digitais, beneficiando-se financeiramente da moda de downloads digitais. Além disso, a Apple ainda protegia os direitos autorais das gravadoras sem incomodar os usuários—que tinham ficado acostumados com a liberdade das músicas digitais no mundo pós-Napster—mas satisfazendo a indústria fonográfica.

Atualmente, o iTunes oferece mais de 37 milhões de músicas, assim como filmes, programas de TV, livros e podcasts. Mais de 25 bilhões de músicas já foram vendidas, uma média de 15 mil downloads de músicas por minuto. Estima-se que o iTunes represente mais de 60 por cento do mercado global de downloads de músicas digitais. Embora a Apple tenha dominado este Oceano Azul durante mais de uma década, conforme outras lojas on-line começam a explorar o mercado, o desafio da Apple será manter o foco nas mudanças do mercado e não cair em benchmarkings competitivos ou marketing em nichos de alto nível.

Será que, como o Apple iTunes, é possível desbloquear valores sem precedentes para os compradores analisando a sexta fronteira do modelo das seis fronteiras da Estratégia do Oceano Azul?

O audiobook da Estratégia do Oceano Azul também está disponível no iTunes.

Iniciativas Estratégicas dos Oceanos Azuis

Blue ocean strategy is based on over decade-long study of more than 150 strategic moves spanning more than 30 industries over 100 years. The research of W. Chan Kim and Renée Mauborgne focused on discovering the common factors that lead to the creation of blue oceans and the key differences that separate those winners from the mere survivors and those adrift in the red ocean.The database and research have continued to expand and grow over the last ten years since the first edition of the book was published and the strategic moves we studied depict similar patterns, whether blue oceans were created in for-profit industries, non-profit organizations, or the public sector.

Temos alguns exemplos de iniciativas estratégicas de Oceano Azul em várias organizações e setores diferentes. Selecione os ícones abaixo para saber mais.

Estudo de Caso da Bloomberg Financial News
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Canon
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Cemex
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do Cirque du Soleil
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Curves
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do Modelo T da Ford
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do iTunes
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da JCDeaux
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da NetJets
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Novo Nordisk
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do Departamento de Polícia de Nova York
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do Peirce College
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Philips
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da QBHouse
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Quicken
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul da Polo Ralph Lauren
Estudo de Caso da Estratégia do Oceano Azul do Viagra
We use cookies to ensure you get the best experience on our website and continuing implies your consent - Read our full cookie policy Okay, don’t show me again